NOTÍCIAS

Seminário de mobilidade urbana trouxe ideias inovadoras para o transporte público da Grande Florianópolis


16/05/2014

Wagner Colombini, Magnus Robach e o secretário Murilo Flores durante a abertura do seminário.  Foto: Flora Neves
Wagner Colombini, Magnus Robach e o secretário Murilo Flores durante a abertura do seminário. Foto: Flora Neves

Magnus Robach, embaixador da Suécia no Brasil, foi o anfitrião do Seminário Mobilidade Urbana: Desafios e oportunidades por um transporte sustentável, que debateu nessa quarta feira, 12/05, novas tecnologias e modelos de planejamento. Estavam presentes no Hotel Magestic Palace, em Florianópolis, cerca de 80 especialistas da área de transporte e gestores municipais.

Um dos temas apresentados foi o PLAMUS – Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis, estudo para mapear as necessidades de mobilidade da região e propor melhorias. A apresentação foi feita por Guilherme Medeiros, da SC Parcerias e coordenador do PLAMUS e Wagner Colombini, diretor da LOGIT Engenharia.

"Há uma semelhança interessante entre o PLAMUS e o jeito sueco de trabalhar. Primeiro, pela capacidade demonstrada de reunir diversos atores e, em segundo, pelo grau de participação social que o projeto tem alcançado", declarou Robach.  O embaixador sueco acredita também que o PLAMUS tem potencial para se tornar um modelo não só para outros estados no Brasil, mas também para outros países.

Com o objetivo de apresentar os mais modernos conceitos e soluções para o transporte público, também foram convidados a palestrar Bruno Reis Malburg, gerente de estruturação de projetos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); Alberto Rodrigues, gerente de negócios da Ericsson; Ayrton Ferreira do Amaral, responsável pelo programa de Mobilidade Urbana da Volvo Bus Latin America, e o presidente da empresa, Luiz Carlos Pimenta.

Foto: Flora Neves
Foto: Flora Neves

“Um dos diferenciais é que estamos buscando fazer um planejamento integrado, entre o uso do solo e a mobilidade urbana. Esse estudo servirá também como embasamento para os planos diretores municipais, levando em consideração os diversos aspectos de mobilidade”, explica Medeiros. O secretário de planejamento de Santa Catarina, Murilo Flores, durante a abertura do seminário, também reafirmou a intenção e o comprometimento do governo na busca de soluções para a mobilidade urbana em todo estado.

“Esperamos que a cultura do planejamento em longo prazo no Brasil torne-se uma constante, assim como um vírus”, declara Bruno Reis Malburg, gerente de estruturação de projetos do (BNDES), durante a sua palestra sobre Financiamento à Mobilidade Urbana.

Novas tecnologias

As novas tecnologias para sistemas de transportes foram analisadas por Alberto Rodrigues, da Ericsson. Segundo Rodrigues, a Ericsson tem investido em conceitos que favoreçam a experiência de conforto para o passageiro no transporte coletivo, incentivando desta forma o aumento no número de usuários. Ele tomou, como exemplo, o caso de São José dos Campos, em São Paulo, onde os ônibus são monitorados em tempo real. “Isto permite o melhor planejamento de todo o sistema do transporte, beneficiando muito o índice de conforto e satisfação para os passageiros. Com tecnologia, identificamos onde existe uma maior demanda, disponibilizamos mais ônibus e internet banda larga para o usuário. Conseguimos ainda, aprimorar o sistema de segurança, diminuindo os riscos das pessoas ficarem mais tempo expostas em paradas de ônibus, dentre outros benefícios”.

A Suécia é o país da fabricante Volvo que, em 2013, trouxe para circular pelas ruas e avenidas de Florianópolis um veículo com tecnologia híbrida. O novo modelo de ônibus consome em torno de 35% menos combustível e emite até 50% menos gases poluentes que os convencionais. 

Mais acessibilidade

Em sua palestra sobre Mobilidade Inteligente, Ayrton Ferreira do Amaral, responsável pelo programa de Mobilidade Urbana da Volvo Bus Latin America, ressalta que com uma capacidade maior de transportar passageiros, amplia-se a acessibilidade tarifária. Amaral cita exemplos inovadores, como a experiência de Bogotá, “onde as pessoas não andam de ônibus: elas andam de ‘TransMilenio’. O mesmo vale para Curitiba. Lá não se anda de ônibus, mas de ‘Expresso’. São os modernos termos da mobilidade.”

Para o Professor Werner Kraus Junior, chefe do departamento de Automação e Sistemas da Universidade Federal de Santa Catarina, “as apresentações realizadas neste evento reforçam aquela que é a melhor resposta para problemas de mobilidade: o planejamento urbano aliado ao transporte e redes integradas de BRT”.

Foto: Flora Neves
Foto: Flora Neves

COMPARTILHE

Consórcio

Comunicação e Participação Social

Pesquisas

Cooperação Técnica

Estudo de Mercado

Transporte não-motorizado

© PLAMUS 2013 - Comtacti