NOTÍCIAS

Parceiros do PLAMUS, municípios menores da Grande Florianópolis criam iniciativas para melhorar a mobilidade urbana na região


Característica rural não impede que cidades com poucos habitantes sejam importantes peças no xadrez que é o quadro de mobilidade da área metropolitana

15/09/2014

Ruas de São Bonifácio foram revitalizadas com a pintura de faixas e novas  placas de sinalização. Foto: Prefeitura Municipal de São Bonifácio/Divulgação.
Rancho Queimado é um dos 13 municípios que integram o PLAMUS. Foto: Flora Neves.

Mobilidade urbana é um conceito que evoluiu no século XXI. Na busca por facilitar o deslocamento das pessoas, e não de veículos, deixou de ser percebida como uma questão viária para tornar-se uma demanda humana. Aprimorar a mobilidade urbana de uma região significa melhorar a vida dos moradores locais e fomentar o desenvolvimento econômico, um benefício que é estendido desde os mais povoados perímetros urbanos até as cidades com menor densidade populacional. São por esses motivos que o Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis – PLAMUS é um estudo que engloba não apenas um centro, que é a Capital, mas 13 municípios no total. Os resultados destes estudos irão contribuir para o planejamento e gestão integrada da mobilidade urbana na recém criada Região Metropolitana de Florianópolis.

Dos 13 municípios que integram o PLAMUS, quatro possuem mais de 50 mil habitantes: Florianópolis, São José, Palhoça e Biguaçu. Com populações menores e caráter econômico predominantemente rural, as demais nove localidades podem não parecer carentes de melhorias na mobilidade urbana. É um engano. Com pessoas deslocando-se diariamente de casa para o trabalho, crianças indo à escola e turistas visitando os pontos atrativos ou apenas de passagem, municípios como Águas Mornas, Governador Celso Ramos e Santo Amaro da Imperatriz têm importantes questões de mobilidade para lapidar.

“As melhorias que o PLAMUS irá propor vão transcender os territórios dos municípios maiores”, explica o coordenador técnico do PLAMUS pela SC Parcerias, Guilherme Medeiros. “Apesar de terem característica rural, os municípios menores têm uma forte ligação com os maiores. Regionalizando o estudo, não só Florianópolis será beneficiada, mas toda a área metropolitana da Capital e até mesmo a Região Sul do Brasil”, explica.menores e caráter econômico predominantemente rural, as demais nove localidades podem não parecer carentes de melhorias na mobilidade urbana. É um engano. Com pessoas deslocando-se diariamente de casa para o trabalho, crianças indo à escola e turistas visitando os pontos atrativos ou apenas de passagem, municípios como Águas Mornas, Governador Celso Ramos e Santo Amaro da Imperatriz têm importantes questões de mobilidade para lapidar.

Daniela Machado, técnica da prefeitura de Santo Amaro da Imperatriz, apresentou dados sobre os projetos de planejamento urbano do município que poderão  ser integrados à base de informações do PLAMUS.
Daniela Machado, técnica da prefeitura de Santo Amaro da Imperatriz, apresentou dados sobre os projetos de planejamento urbano do município que poderão ser integrados à base de informações do PLAMUS.

O coordenador técnico do projeto dá exemplos de como o PLAMUS, quando finalizado, pode ajudar a desenvolver os municípios menores: “nossa pesquisa vem mostrando que o transporte não motorizado – a pé ou de bicicleta – é muito utilizado nestes municípios. É importante que seja dada estrutura para esse tipo de transporte, que geralmente é esquecido. Nas cidades de São Bonifácio, São Pedro de Alcântara, por exemplo, mais de 15% dos deslocamentos são feitos de bicicleta, o que é um excelente indicador. Estes municípios também têm recebido visitantes interessados no cicloturismo rural. Criando estrutura adequada, pode-se fomentar o turismo e o desenvolvimento econômico da cidade, que é uma maneira de evitar o crescente êxodo rural. O que nos entusiasma é que as próprias prefeituras estão se preocupando com temas como ciclovias, transporte escolar e turismo”.

Plano Diretor e transporte marítimo

De fato, as prefeituras dos municípios que são parceiras do PLAMUS não estão deixando a mobilidade de lado. Seja com obras ou desenvolvendo projetos, as nove cidades menores têm agido para contribuir com melhorias. A prefeitura de Santo Amaro da Imperatriz, por exemplo, finalizou uma proposta de Plano Diretor com uma visão de cidade compacta, com uso misto, e retendo a expansão da área urbana, que são conceitos atuais de desenvolvimento urbano que evitam o agravamento futuro dos aspectos de mobilidade e tornam a cidade mais atrativa para os deslocamentos a pé, de bicicleta e por transporte público. Segundo a técnica de edificações e arquitetura Daniela Machado, o plano foi entregue na Câmara de Vereadores para análise.

Caso semelhante ocorre em Governador Celso Ramos, onde foi aprovada uma lei para adequar as calçadas do município. Segundo William Wollinger Brenuvida, Chefe de Gabinete do Prefeito, o objetivo da lei é melhorar a segurança e a boa circulação de pedestres: “Pela forte tradição lusitana, nossas construções inviabilizam calçadas espaçadas. Independente disso, o código de obras prevê calçadas com 1,5 metros de largura. Também construímos pontes, instalamos lombadas e sinalização nas ruas, e vamos construir estruturas de píer, ou cais, que possibilitarão transporte marítimo no município”.

Pontes instaladas ou reformadas recentemente em Gov. Celso Ramos.  Foto: Prefeitura Municipal de Governador Celso Ramos/Divulgação.
Pontes instaladas ou reformadas recentemente em Gov. Celso Ramos. Foto: Prefeitura Municipal de Governador Celso Ramos/Divulgação.

Ruas de São Bonifácio foram revitalizadas com a pintura de faixas e novas  placas de sinalização. Foto: Prefeitura Municipal de São Bonifácio/Divulgação.
Ruas de São Bonifácio foram revitalizadas com a pintura de faixas e novas placas de sinalização. Foto: Prefeitura Municipal de São Bonifácio/Divulgação.

Obras e revitalização

Iniciativas recentes ocorreram também em Águas Mornas - onde ruas foram pavimentadas, abrigos para passageiros de ônibus foram construídos e passou-se a lecionar Educação no Trânsito nas escolas públicas - e em São Bonifácio, que agora tem sinalização para pedestres e rampas para cadeirantes nas vias do município, além de novas placas com os nomes das ruas. Em Anitápolis, estradas foram alargadas e a praça principal da cidade foi revitalizada com novas placas de sinalização. 

Em outros locais, como Antônio Carlos, projetos aguardam aprovação ou liberação de verbas: “Nossa ideia é transformar as três principais vias do município em um espaço de circulação para pedestres, ciclistas e veículos de forma hierarquizada, de maneira que cada meio de locomoção respeite seu espaço”, explica o Secretário de Planejamento Paulo Andrey.

Prefeitura de São Pedro de Alcântara pretende colocar em prática o Plano  Diretor e melhorar a ligação com Angelina, outro município integrante do PLAMUS. Foto: Flora Neves.
Prefeitura de São Pedro de Alcântara pretende colocar em prática o Plano Diretor e melhorar a ligação com Angelina, outro município integrante do PLAMUS. Foto: Flora Neves.

A cidade de São Pedro de Alcântara é mais uma que tem grandes planos para melhorar a mobilidade dentro dos perímetros urbano e rural. De acordo com Gilson Testoni, Secretário de Tributos, Fiscalização e Defesa Civil, já há uma proposta de Plano Diretor aprovada para o local e obras para abrir novas vias de acesso estão sendo realizadas. “Queremos pavimentar o caminho entre a cidade e Angelina – há um abaixo assinado referente a isso correndo entre os dois municípios - o que aliviaria o tráfego que congestiona a região de Santo Amaro da Imperatriz na BR-282”, explica.

Caráter Social

Para Guilherme Medeiros, as ações que vêm ocorrendo e a parceria entre as prefeituras e o PLAMUS só tem a contribuir para o desenvolvimento da região. Mais que isso, o estudo tem caráter social: “Segundo o Secretário de Educação de Angelina, Adinei Boaventura, os ônibus do transporte público escolar percorrem 2.400km todos os dias dentro do próprio município. Se ajudarmos a criar condições melhores de deslocamento, contribuiremos também para manter as crianças na escola, evitando o êxodo dos jovens para outros municípios, abandonando os estudos”.

Próximas etapas

A partir de setembro os levantamentos e estudos do PLAMUS entrarão em nova fase, passando seus resultados a serem divulgados oficialmente. A primeira leva de informações sobre as pesquisas será trazida ao público em uma data especial: 22 de setembro, quando é celebrado o Dia Mundial Sem Carro. O evento ocorrerá no Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), instituição parceira do projeto. Mais informações sobre este evento serão veiculadas aqui mesmo, na próxima semana. Acompanhe!


COMPARTILHE

Consórcio

Comunicação e Participação Social

Pesquisas

Cooperação Técnica

Estudo de Mercado

Transporte não-motorizado

© PLAMUS 2013 - Comtacti