NOTÍCIAS

BNDES realiza reunião de apresentação de resultados e propostas do PLAMUS dando inicio às tratativas para seu financiamento


Valor total do investimento de implantação do Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis (PLAMUS) está orçado em R$ 3,5 bilhões

25/02/2016

O superintendente da Região Metropolitana de Florianópolis, Cassio Taniguchi, participou  da apresentação do relatório final do PLAMUS ao BNDES, falando das ações em andamento para a implantação das s
O superintendente da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (SUDERF), Cassio Taniguchi, participou da apresentação do relatório final do PLAMUS ao BNDES, falando das ações em andamento para a implantação das soluções.

Na terça-feira (23), corpo técnico do consórcio que desenvolveu os estudos e levantamentos do PLAMUS e representantes da SUDERF, reuniram-se à Área de Estruturação de Projetos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES, em sua sede no Rio, para apresentação e detalhamento dos resultados. A reunião é parte da prestação de contas do projeto que foi financiado pelo Fundo de Estruturação de Projeto do BNDES. O vice-presidente do banco, Vagner Bittencourt, realizou a abertura, seguido pelo superintendente da Área de Estruturação de Projetos, Henrique Pinto. As apresentações foram conduzidas pelo vice-presidente da Strategy&, Carlos Eduardo Gondim, por Rafael Vanzella, do escritório Machado Meyer, pelo urbanista da LOGIT, Maurício Feijó, pelo superintendente da Região Metropolitana - SUDERF, Cássio Taniguchi e pelo diretor-técnico, Lanes Prates Marques.

O gerente da Área de Estruturação e Projetos do BNDES, Bruno Malburg, também presente ao encontro, acompanhou de perto, com sua equipe, todas as fases de estruturação do PLAMUS. “A gente apresentou o resultado do estudo para os empregados do BNDES em uma reunião aberta, da qual qualquer um podia participar. Foi uma prestação de contas, na qual foram apresentados o Plano de Mobilidade de Santa Catarina, com algumas propostas iniciais como a implantação do BRT na Região Metropolitana. O estudo prevê investimentos na ordem de 3,2 bilhões de reais, para implantação da totalidade do PLAMUS. A participação do Cassio Taniguchi e do Prates, da SUDERF, garantiu uma abordagem mais completa, permitindo que não nos limitássemos ao diagnóstico e recomendações dos estudos, abordando também o que está sendo executado em função do que os estudos apontaram. Eles mostraram as ações que estão sendo tomadas pelo Governo do Estado, no sentido de implementar as soluções. O resultado do evento superou minha expectativa.”

O gerente da Área de Estruturação e Projetos do BNDES, Bruno Malburg, também presente ao encontro, acompanhou de perto, com sua equipe, todas as fases de estruturação do PLAMUS
O gerente da Área de Estruturação e Projetos do BNDES, Bruno Malburg, acompanhou de perto, com sua equipe, todas as fases de estruturação do PLAMUS.

Malburg considera que a experiência do PLAMUS foi muito bem sucedida, tornando-se uma referência para a área de projeto do BNDES. “Isso foi um tema abordado várias vezes na reunião de hoje. Quando a gente aprovou e executou o PLAMUS para Santa Catarina, tinha como um dos objetivos que se tornasse uma referência para outras regiões metropolitanas do País. A apresentação de hoje deixou claro para o BNDES, inclusive para outras áreas que não a nossa, que o estudo foi feito com a visão correta: de integração metropolitana e não apenas municipal, olhando o longo prazo. Com isso, realmente deve se tornar uma referência. Vamos nos empenhar para que isso aconteça. Quando outras regiões metropolitanas ou capitais nos procurarem, vamos orientá-las a realizar seu planejamento dentro dos padrões adotados pelo PLAMUS.”

O superintendente Cássio Taniguchi aproveitou a visita aos representantes da área social do BNDES para dar início às tratativas de financiamento da primeira etapa de implantação do PLAMUS, que envolve a implantação do sistema de BRTs e está orçada em R$ 850 milhões. A negociação com o Banco captará pelo menos R$ 400 milhões e possibilitará a execução dos serviços através de uma Parceria Público-Privada (PPP). Segundo Taniguchi “o PLAMUS já está pronto e aprovado e a ideia é fazermos a implantação imediata e em dois blocos. O primeiro compreende a Via Expressa, as duas pontes e a BR101 e deverá receber investimentos de cerca de um bilhão. A nossa expectativa é que o governador Raimundo Colombo possa inaugurar esta primeira etapa do BRT até 2018. Ao mesmo tempo o município estará implantando o anel viário que completará o conjunto de corredor exclusivo para o transporte coletivo da Grande Florianópolis. É claro que há a possibilidade de implantar outros trechos na medida em que avançarmos nos ajustes de convênios e acordos com a concessionária, a ANTT, o DNIT e o Ministério dos Transportes.  Em seguida temos investimentos na ordem de dois bilhões para as etapas que incluirão o remodelamento da SC 401 e demais rodovias estaduais de Florianópolis.  As negociações estão se desenvolvendo muito bem e a implantação da totalidade dos projetos deverá ser escalonado visando a atingir aos objetivos e metas previstos no PLAMUS “.

O PLAMUS sugere ações em cinco frentes: reestruturação do transporte coletivo integrado metropolitano, priorização dos modos não motorizados de deslocamento, gestão de demanda (políticas de estacionamento), reestruturação do transporte de mercadorias e expansão da capacidade viária e gestão de tráfego.

Acompanhe aqui as matérias veiculadas pelo jornal Diário Catarinense sobre a reunião desta terça-feira:


COMPARTILHE

Consórcio

Comunicação e Participação Social

Pesquisas

Cooperação Técnica

Estudo de Mercado

Transporte não-motorizado

© PLAMUS 2013 - Comtacti